Regina Sousa

Vice-Governadora do Piauí (PT)

Foi a primeira mulher a assumir o Senado pelo Piauí.  Em 2018, foi eleita vice-governadora do Estado do Piauí ao lado de Wellington Dias.Tem como meta trazer para a centralidade da pauta do governo a temática dos Direitos Humanos e Meio Ambiente, assim como fez enquanto Senadora da República, em que participou das Comissões Técnicas que discutiam esses assuntos no Senado Federal, onde presidiu a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa.

É fundadora da Central Única dos Trabalhadores no Piauí, da qual já foi presidente estadual e membro da direção nacional. Formada em Letras com habilitação em língua portuguesa e língua francesa pela Universidade Federal do Piauí. Em plena ditadura militar, deu início ao seu processo de consciência política, atuando nos movimentos sociais.

Ingressou no Banco do Brasil em 1983, quando mergulhou na atividade sindical, onde conheceu seu grande parceiro político, Wellington Dias – atual governador do Piauí.

Tornou-se presidenta do PT, o qual presidiu por seis mandatos alternados, e coordenou as campanhas vitoriosas de Lula e Wellington Dias, em cujo governo tornou-se secretária de Administração  exercendo o cargo nos dois mandatos de Wellington à frente do Executivo Estadual.

No Senado, realizou audiências públicas sobre direitos trabalhistas, terras indígenas e quilombolas, violência contra a mulher e a população LGBT, Previdência Social, combate ao racismo entre outros. É autora de vários projetos tramitando no Senado, dentre eles o que garante mais proteção social a crianças com pai ou mãe encarcerados, permite acervo de livros paradidáticos e de literatura infantil em salas de aula da educação infantil e dos cinco primeiros anos do ensino fundamental e o que garante transporte para mães e filhos recém-nascidos entre o local do parto e a residência, e da residência ao serviço de saúde para complementação de exames.

Defende o empoderamento das mulheres como fundamental para a mudança política no país. Como também dar uma atenção especial às chamadas populações invisíveis (populações de rua) que são pessoas só que querem ter seus direitos garantidos e serem vistos como cidadãos e cidadãs.